Frequência e mudança do comportamento

A frequência da ocorrência de um comportamento está intimamente ligada ao conceito do comportamento operante definida por Skinner, ou seja, a ação que impacta o ambiente.

Essa compreensão começou a ser delineada em 1898, quando Edward L. Thorndike formulou a Lei do Efeito que diz que o comportamento de um organismo é fortalecido mediante às consequências obtidas. Tendemos a continuar fazendo aquilo que nos proporciona resultados satisfatórios. Dessa forma, operamos sobre o ambiente à nossa volta e o ambiente é impactado pela nossa operação, razão pela qual somos sensíveis às consequências das nossas atitudes.

As consequências do comportamento podem ser reforçadoras, punitivas ou nulas, que é exatamente quando nada acontece e são essas consequências que irão moldar a força ou frequêcia de um comportamento.

Quando se diz que um indivíduo é apaixonado por gastronomia, observa-se que ele compra livros de culinária, posta fotos de pratos elaborados nas redes sociais, convida amigos para jantares feitos por ele, infere-se que provavelmente ele irá à inauguração do restaurante de um chef internacional.

A partir dessas informações é possível prever e alterar a probabilidade de um comportamento operante futuramente por meio da manipulação das consequências: Reforçadores positivos, reforçadores negativos, extinção e punição.

Close

60% Completado

Quase pronto

Estamos constantemente envolvidos na pesquisa, na elaboração de novos materiais e cursos baseados em evidências científicas sobre autismo, desenvolvimento atípico e aprendizagem. Garantimos que todo conteúdo que encontrar aqui tem muita pesquisa e objetividade.