5 dicas de como lidar com comportamentos disruptivos

Uma das características marcantes no autismo é a dificuldade em lidar com alguns tipos de frustrações em razão de algumas particularidades da condição, como inflexibilidade, rigidez, interesses restritos, dificuldades em regular os próprios sentimentos, e especialmente dificuldades na compreensão ou na expressão da linguagem.

O sentimento de frustração pode aparecer na criança ao tentar ganhar atenção, fugir de algumas atividades, entre outras situações. Neste momento ocorrem os comportamentos disruptivos, que são respostas emitidas por meio de gritos, choros, se jogar no chão, quebrar objetos, agressividade, etc.

Isso pode ser desafiador para qualquer mãe e qualquer pai.

Por isso, trouxemos 5 dicas de como você pode lidar com esses comportamentos:

  1. Analise o comportamento indesejado feito pela criança. Para isso você pode fazer uma tabela anotando o que aconteceu, o que aconteceu depois. Inclua informações como data, horário, local, pessoas presentes no momento, comportamento e consequências logo depois do comportamento.
  2. Identifique qual a função do comportamento analisado: É para ter sua atenção? É pra fugir de uma atividade que ela não gosta? É pra ter acesso a uma coisa que ela quer muito?  É para ter uma sensação que a acalme ou proporcione prazer?
  3. Depois de identificar a função, você pode prevenir a ocorrência do comportamento. Lembra da análise que do que acontece antes? Então, você vai mudar o contexto antes para prevenir ou substituir o comportamento analisado.
  4. Em situações em que o comportamento indesejado se manifestar, não dê atenção imediata. Respire profundamente, procure manter a calma e espere o momento em que esse comportamento diminuir de intensidade, conte até 5 e ajude a criança a pedir de o que ela quer de forma apropriada. Pode ser com uma pista visual, uma prancha de comunicação ou falando oralmente. Após o pedido, dê imediatamente. Dessa forma você vai reforçar uma forma socialmente adequada de pedido.
  5. Por último e na verdade, mais importante, estimule a comunicação da sua pessoa autista. Mesmo pessoas que falam, em momentos de frustração podem ter dificuldade de se comunicar. Por isso, esteja aberta ao uso da comunicação aumentativa alternativa (CAA) com a certeza de isso vai contribuir para a expressão e satisfação.

Lembre-se de essas dicas são uma pílula de toda a complexidade dos comportamentos. Muitas vezes não conseguimos ter distanciamento para analisar as situações. No SuperABA, analistas do comportamento ajudam os pais a fazerem essa análise, mas você também pode pedir ajuda para alguém do seu círculo para entender melhor esse contexto.

Close

60% Completado

Quase pronto

Estamos constantemente envolvidos na pesquisa, na elaboração de novos materiais e cursos baseados em evidências científicas sobre autismo, desenvolvimento atípico e aprendizagem. Garantimos que todo conteúdo que encontrar aqui tem muita pesquisa e objetividade.